Analytics:

quinta-feira, julho 09, 2009

Não sai não....Fica Sarney!

.
.



Via @portalMTV


.

3 comentários:

rafaella ribeiro disse...

"a gente tem que ficar de olho em todos os poderes!" [2]

Muito bem observado, mas eu ainda acho que o sarney tem que sair.

Guilherme Scalzilli disse...

Por falar em PMDB

Sob condições “normais”, a imolação pública de José Sarney mereceria lautos festins. Acontece que a febre moral da grande imprensa visa apenas desgastar o PMDB governista antes das disputas de 2010. É pura campanha eleitoral.
As sucursais brasilienses existem há décadas, com repórteres alimentados por centenas de fontes em todos os níveis de poder, e nenhum deles, nenhunzinho, jamais soube de falcatruas operadas por diretores do Senado antes do governo Lula. O Sarney que presidiu a Casa e coordenou a base parlamentar do governo FHC (1995-97) era probo, literato e elegante. E nunca é demais lembrar que Agaciel Maia esteve lá por 14 anos.
Parece que duvidar da imprensa virou elogio ao coronel maranhense. Sei. Então tá. Proponho o seguinte: aspiremos bons fluídos republicanos, montemos na vassoura ética e investiguemos o PMDB de uma vez por todas. Que tal começar pelo quercismo?
Sugiro um levantamento dos órgãos e cargos ocupados por peemedebistas na atual gestão paulistana de Gilberto Kassab. Como se sabe, a vice-prefeita, Alda Marco Antônio, foi secretária dos “polêmicos” governos estaduais de Orestes Quércia (1987-90) e Luiz Antônio Fleury (1991-94) – aquele do massacre do Carandiru.
Alguém pode aproveitar o embalo para escarafunchar também o governo de José Serra, que se aliou a Quércia para vencer a disputa estadual e manter sólida maioria na Assembléia. Não parece razoável que uma aliança dessa envergadura tenha transcorrido sem qualquer, digamos, retribuição. Ora, deve restar alguma irregularidade, mínima que seja, escondida nos milhares de departamentos e incontáveis gabinetes dessas portentosas máquinas administrativas.
Ops. Cadê o furor investigativo? Agora deu preguiça?

julio disse...

Fica Sarney!

Fica Sarney, a imoralidade política precisa de ti. Tua competência no campo do cabide de emprego de parentes e amigos na administração pública é de invulgar aptidão. O paupérrimo Maranhão, de miseráveis cidadãos, é o retrato desbotado preto e branco de Estado maltratado pela locupletação do conhecido clã Sarney.
Foi presidente da República por acaso sem receber um só voto, e deixou o país com a maior inflação de sua história: mais de 2000%. Coitadas das (suas) fiscais do Sarney que pagaram um tremendo "mico". Agora, envolvido até o pescoço com maracutaias, se considera um homem impoluto, vítima da mídia brasileira. Deveria ter vergonha de se eleger pelo Amapá, a maior trapaça da história política nacional.
Infelizmente, a canalhice domina a política brasileira. Confiscar os bens desses ladravazes da nação seria o mínimo que - se houvesse Justiça com letra maiúscula neste País - se deveria fazer. E depois, cassar os seus mandatos e levá-los às barras dos tribunais.
E a gente tem que ficar ouvindo o presidente Lula defender o Sarney, bem como a ministra sem diploma da Unicamp, Dilma Rousseff, xingar que queremos demonizar o "marimbondo de fogo". Merecemos!


Se o Brasil conhecesse a verdadeira história dos Sarney, que se locupletaram com a miséria do hoje paupérrimo Maranhão, o "marimbondo de fogo" não seria mais político. Mas todo o povo merece os ladravazes que elegem.
Por isso, o nordeste padece e continuará padecendo de pouco desenvolvimento enquanto os "coronéis" e larápios de colarinho branco continuarem vivos e enganando a população.